Branding – O ponto de partida para gerir sua imagem no mercado

Branding 16 de abril de 2013 Nenhum Comentário Postado por Natali Cruz

A palavra “Brand”, traduzida ao pé da letra, significa marca. Mas afinal o que é marca? Uma marca não é simplesmente uma logo, slogan ou uma figura que represente uma empresa, a marca é identidade, é o que as pessoas pensam da sua empresa.

Para se administrar bem sua marca, o primeiro passo é compreendê-la. O que ela representa? Quais são os valores da sua empresa? O que as pessoas pensam sobre seu negócio? O que você quer que as pessoas pensem sobre seu negócio? O que sua empresa vende? Quem é seu público alvo? O que te diferencia da concorrência? Essas perguntas podem parecer desnecessárias à primeira vista mas respondê-las bem é fundamental para definir quem você é no mercado. E para se responder essa pergunta é interessante que se leve em conta os quatro vetores de identidade de marca propostos por Wally Olins (autor do livro: “A Marca”) em sua primeira diretriz. São eles: produto, ambiente, comunicação e comportamento:

1 – Produto: O produto é a maior ação de marketing que existe. Qualquer empresa existente, seja qual for o segmento, objetiva vender um produto a um cliente. E por esse motivo as características do seu produto tem que imprimir o que é a sua empresa, o seu diferencial. Gestão de marca é proporcionar ao seu cliente uma ligação afetiva com seu produto, transparecer valores, fazê-lo apegar-se a sua marca através do produto oferecido, é onde tem que estar o seu diferencial. É assim que se faz com que o cliente escolha você e não o concorrente.

2 – Ambiente: O ambiente é onde o produto é criado, ou vendido. O ambiente impacta no produto e impacta na imagem que se passa aos clientes e aos stakeholders.

3 – Comunicação: A comunicação é como você anuncia o que faz. A forma de anunciar é determinante em passar uma imagem. Anunciar implica em um cuidado com a linguagem, o uso de cores, da formas das imagens, sons…tudo tem que se encaixar harmoniosamente com seus valores, a ideia que você quer passar. Lembrando que você não está vendendo apenas um objeto, ou uma consultoria e sim um valor, uma emoção, uma solução. Você deve deixar claro na representação visual, auditiva e em anúncios que valor é esse que você está vendendo.

4 – Comportamento: A forma de agir no ambiente de trabalho, o relacionamento com os clientes, as ações perante a sociedade, tudo isso se encaixa nesse vetor. A questão é ter comportamento coerente. A melhor forma de explicar isso é usando uma situação hipotética. Imagine que você é o cliente. O que pensaria de uma empresa que tem com valor “ética”, mas que respondem frequentemente a processos sobre violação dos direitos do consumidor? Ou então, imagine uma empresa que quer passar uma imagem de “amor a natureza”, mas tem fábricas produzindo grandes quantidades de lixo despejadas em locais inadequados? O que você pensaria? Evitar esse tipo de contradição, é fundamental para dar credibilidade a sua marca, e fazer todo o trabalho de branding ser efetivo.

Lembrando que essa etapa(a de descobrir quem é sua empresa), é apenas o pontapé inicial. Branding é um conceito extremamente amplo. Gerir a “personalidade” de um negócio exige não só conhecer teorias, conceitos e práticas que envolvem a gestão de marca. Lembre-se, não existe uma “receita” de como se criar uma boa logo, uma boa campanha publicitária, isso só é feito quando se sabe exatamente o que se deve ser representado e que impacto se deve causar.

Sobre - Natali Cruz

Graduanda em Ciência da Computação e Gerente de Conteúdo da No Bugs.

Veja também...

0 Comentários

Deixe o seu comentário!