3 Maneiras de Minimizar Distrações e Focar no Trabalho

distracao 1 de maio de 2012 1 Comentário Postado por Guilherme Eler

Quando você está ocupado com muitas coisas, é fácil sobrecarregar o seu navegador com muitas páginas que você sequer vai abrir, desconsiderar alguns emails, abrir muitas janelas, e deixar trabalho não terminado em algum aplicativo por dias sem de fato realizá-lo. Eis uma forma de treinar o seu foco num ambiente que foi construído para fornecer distrações.

Não minimize nada

Minimizar janelas é uma ótima maneira de gerar uma bagunça que você não pode ver. É como deixar pedaços de comida e sujeira no chão, pressupondo que você vai limpá-lo mais tarde. Você pode não perceber agora, mas da próxima vez que você olhar para o chão da sua casa vai ver onde você esteve pisando esse tempo todo. Minimizar janelas é igualmente desagradável quando se trata de produtividade.

Minimizar uma janela geralmente significa “Eu não posso lidar com isso agora”, e isso não é uma atitude saudável ou produtiva. Você pode lidar com isso agora. A diferença é que você tem que tomar uma difícil decisão sobre se essa atividade é importante ou não. Você pode ter um artigo na tela que você quer ler, mas que você nunca pode realmente lê-lo, talvez por falta de tempo. Esqueça-o e feche a aba. Se você tem um documento aberto no Word que você precisa entregar algum dia, mas que vêm sendo apenas aberto e minimizado há dias sem que você tenha feito algum progresso de fato, você tem que tomar uma decisão: terminá-lo ou fechá-lo. Pare de minimizar janelas e comece a priorizar atividades. Um grupo de janelas minimizadas não é apenas uma lista de tarefas, e sim uma lista de tarefas que você vai esquecer de fazer.

Vai ser difícil no início, mas pare de minimizar tudo. Você vai ficar sobrecarregado com a quantidade de janelas abertas na tela, mas é isso o que vai te forçar a manter seu computador arrumado para encontrar o trabalho que realmente tem que fazer. Você precisará tomar decisões difíceis sobre o que fechar e o que manter aberto, mas com prática você chegará a um lugar onde não será bombardeado por mais tarefas do que você pode manipular.

Crie filtros inteligentes para seu email

Uma boa metodologia é usar o email white list, que essencialmente significa usar um filtro para permitir apenas alguns remetentes na sua caixa de entrada. Dessa maneira, você ficará preocupado apenas com emails de pessoas que você classificou como importantes, ao invés de receber tudo de uma vez. Você pode configurar regras para mandar esses emails não tão importantes para várias caixas de entrada secundárias ou arquivá-las em pastas que você pode verificar quando tiver tempo.

Você também precisará configurar algumas regras para lidar com as mensagens que de fato aparecem na sua caixa e entrada. Crie uma organização de pastas (ou marcadores, no caso do Gmail) simples e que facilite a sua vida quando você for buscar algum email antigo. Uma boa metodologia para isso é a Inbox Zero.

Use um sistema de triagem para evitar a desordem no seu Desktop

Embora seja difícil trabalhar com toneladas de janelas e emails, uma das piores coisas que você pode fazer é usar seu desktop como depósito de arquivos que você não sabe onde colocar. Se você tem esse tipo de problema, separe um tempo para resolvê-lo o mais rápido possível. É difícil trabalhar quando você está num ambiente desordenado e não consegue encontrar os arquivos que você precisa.

Quando você entulha o desktop com arquivos você está basicamente criando uma representação visual de que você está sobrecarregado. Pode parecer bobagem, mas olhar para um desktop limpo pode te ajudar a focar porque você não precisa ficar encarando o problema o dia inteiro. Se você tiver tempo, tente projetar um ambiente de trabalho limpo que seja visualmente bacana e evita a bagunça. Se você não tem tempo, use um papel de parede minimalista e comece a trabalhar com esse sistema de triagem de desktop com três ícones para se livrar da bagunça em poucos minutos.

Texto adaptado do blog Life Hacker.

Sobre - Guilherme Eler

Empresário júnior, aspirante a engenheiro de software e analista de projetos da No Bugs. Graduando em Ciência da Computação pela UFV. Não formata computadores.

Veja também...

1 Comentário

  1. Claudinei disse:

    Dicas muito boas.
    Eu já uso as 2 últimas há algum tempo e posso te dizer, faz diferença! Agora, começarei a usar a dica 1 também.

Deixe o seu comentário!